ZEN Surf. de Trem !!! Em ondas de viagens e informação ...

Zen surf de trem é um blog/coluna, que aborda de maneira jovial e sem compromisso, a realidade de um lugar diferente, os pensamentos de um sonhador e as informações de uma banda que luta em busca divulgar o seu som e sua ideologia . Um blog onde o debate é a palavra de ordem, do social a ufologia, sempre respeitando a opinião do próximo. Publicado em diversos jornais e sites do Mato Grosso do Sul.

sábado, 15 de março de 2014

Quanto vale a sua ideologia ??? O retrato deprimente de um falso rei.



Salve salve galera do mundo. Hoje após algum tempo de pausa nas publicações do blog, resolvi compartilhar mais uma vez um pouco de minhas "viagens" e pensamentos, como tenho feito a tantos anos. Antes de mais nada, gostaria de agradecer a todos que curtem o blog, e a maneira simples e sem pretensão que escrevo. Quando criei o blog, em 2008, seria apenas uma ferramenta de distração, e foi principalmente com ele, que me dei conta o quão é importante a exposição de nossas idéias, ainda que muitas vezes imatura, afinal, também aprendemos com os erros. 

Diferente das composições, algo que eu já realizava desde muito novo, a elaboração de textos associada com a vontade de expressar meus sentimentos e pensamentos compartilhando-as com mais pessoas, era uma nova paixão que logo me transformou drasticamente. Passei a refletir mais, ter mais calma nas afirmações, e diminui muito meu preconceito acerca de todas as coisas. Passei de um bom leitor para um leitor voraz, evolui de um compositor/letrista  para um escritor em plena atividade. De lá pra cá o blog ganhou um bom número de visualizações mensais e eu ganhei a oportunidade de publicar meus textos em jornais, sites e outros veículos que comunicação, de conhecer gente importante do jornalismo, e descobrir que muita gente aprecia o que eu escrevo. Consegui gerar debates e despertar contestações, com alguns textos, e com isso, ganhei aquele velho apelido de "POLÊMICO", dado principalmente a quem não tem medo de expor sua opinião, ainda que outrora precise se retratar, como tive que fazer algumas vezes. Mas tudo bem, ainda acredito que aprendemos muito mais com os erros. 

Diante de tantas experiências e mudanças, a que considero a maior e mais brilhante que aconteceu comigo desde que eu passei a me dedicar a escrita, foi o amadurecimento de minha própria ideologia. Talvez pelo fato de ter lido algumas obras magmas, que são transformadoras para qualquer jovem, ou talvez pelo simples fato do passar do tempo, que amadurece as pessoas, aquele time que cada um tem o seu. As vezes me pego a analisar, como existem pessoas que são tão jovens de idade e maduras nas atitudes e pensamentos, e outras que são totalmente ao contrário disso. Na certa um belo exemplo de paradoxo. Mas vejo que dia após dia com as constantes mudanças que sofremos com a globalização consumista, o ser humano tem se tornado o próprio paradoxo. E o que se era hoje, amanhã já não precisa ser, desde que se pague um preço por isso. Sei que o poder do capital domina e controla tudo, porém o que temos hoje é uma situação no mínimo interessante para se refletir. Não contentes em ditar as regras do nosso consumo, e influenciar diretamente na formação de nossa própria ideologia, agora querem ter que o capital a transforme a qualquer momento. Querem comprar as nossas idéias. 

Sei que muito já se falou, e muitos já criticaram o nosso Rei Roberto Carlos, desde que ele apareceu fingindo comer carne pela FRIBOI, mas esse é o maior exemplo de compra de ideologia do momento. 


O fato não é o rei da Globo ter voltado a comer carne ou não, afinal todo mundo pode mudar de opinião e rever seus conceitos. A questão primordial é que além dele não ter voltado a comer carne, continuando a ser o vegetariano xiita que sempre foi, vendeu a sua imagem a algo que ele denomina errado, ou melhor algo que ele abomina. Prestando um papel de falso, com o único intuito de receber um cachê estratosférico. Resumindo, trocou a sua ideologia, aquilo que segue e que acha certo, por uma grande quantia em dinheiro, como se ele precisasse. Sei que muitos podem pensar, que não sou ninguém para juga-lo, alguns mais alienados pensam, é mais se fosse você, você teria feito o mesmo. E com esse tipo de pensamento, nosso país fica mais corrupto a cada dia, e nossos reis mais decadentes. 

Sempre fui fã do Roberto Carlos, e minha vó dona Ecy que não descubra a crítica que estou fazendo a ele, pois na certa é uma de suas maiores fãs que já conheci, possuindo uma coleção extensa de discos do pseudo Rei. Brincadeiras a parte e analisando o papel social e cultural que ele se prestou a fazer é no mínimo deprimente. Aliás deprimente seria uma boa palavra para definir o seu trabalho nos últimos tempos, se tornando um fantoche da Globo. 

Eu gostaria muito de saber quanto pagaram para ele vender a sua ideologia, gostaria de saber também de ele não se arrependeu, afinal não creio que ele seja um cara do mal. É não se fazem mais reis como antigamente. Estou preocupado, pois não acreditava que o dinheiro pudesse comprar tudo, sempre tive aquele sonho comuna, de um mundo melhor, de não valorização material, mas e agora, o capital está comprando até o abstrato! Obrigado Roberto por contribuir por um mundo mais falso, menos ideológico e muito mais muitos mais materialista. Ah, e bom apetite !!!         

(*)Texto de João Caetano, Idealizador e vocalista da banda Surfistas de Trem, Ufólogo, graduado em Ciências Econômicas pela UEMS, especialista em Metodologia e Didática do Ensino Superior pelas Faculdades Magsul, membro do Conselho Municipal de Cultura em Ponta Porã, docente nas disciplinas de História Regional e Sociologia,  além de, fronteiriço nato de alma guarani.     




segunda-feira, 3 de março de 2014

O que é a banda Surfistas de Trem ???

Ao sul do antigo Mato Grosso, na fronteira invisível que separa o Brasil e o Paraguai, a poucos metros da antiga estação do saudoso Trem do Tereré, surgiu em fevereiro de 2008, em Ponta Porã/MS (Princesinha dos Ervais), à banda fronteiriça Surfistas de Trem.
Com intenção de fazer a sua própria música, levou para suas canções autorais a forte influência sócio-cultural e as peculiaridades impares dessa região tão diferente de nosso país. Mergulhando fundo na exaltação a cultura fronteiriça e toda a sua miscigenação, criaram uma música ao qual batizam de Moderna Música da Fronteira, onde através das variadas influências musicais dos integrantes da banda, conseguiram fazer um som autêntico e inovador.
Assim como na fronteira, miscigenação é a palavra de ordem no estilo musical da banda. Que além da veia forte da Soul Music, passeiam pelo rock, reggae e samba-rock, cantando e exaltando a fronteira invisível e seu cotidiano, além dos grandes nomes  da moderna música do MS.  A resposta é rápida quando questionados qual o estilo musical da banda? Samba Reggae and Roll!  É assim, de maneira mais do que diferente que definem o seu estilo musical.
Com este regionalismo moderno, a banda pouco a pouco conquista cada vez mais um público fiel e cativo, que já ultrapassa as fronteiras do estado de Mato Grosso do Sul. Duas vezes destaque nacional no maior site de música independente do Brasil, o Palco MP3, a banda também acumula diversas participações em festivais e projetos culturais, sendo destacados: Festival da Primavera (Tv Morena), Festival América do Sul (FCMS), Som da Concha (FCMS), Cenasom (FCMS), Som da Fronteira (Fundac/Ponta Porã), Festival Alma y Joven (Dpto de Amambay – PAR), Celebração (UFGD) e Estúdio 104 (Tv Brasil Pantanal).
Com uma boa bagagem musical, amadurecimento das canções e idéias da banda e ainda dois CDs Demonstração já lançados, os Surfistas de Trem se preparam para lançamento de seu primeiro álbum profissional. Intitulado como Moderna Música da Fronteira, o álbum conta com o apoio do FIC/MS (Fundo de Investimento Cultural), e com a produção musical de Alex Cavalheri, tendo lançamento previsto para o segundo semestre de 2014. A banda conta com a mesma formação desde 2010, quando iniciaram o projeto autoral, tendo como integrantes os amigos de longa data: João Caetano (vocal), Renan Dorta (baixo), Cleyto Vieira (guitarra), Alexandre Parra (guitarra) e George Parah (percussão e bateria). Que buscam em cada show realizado mostrar existência de vida inteligente na fronteira do refrescante e saboroso tereré!

(*)Texto de João Caetano, Idealizador e vocalista da banda Surfistas de Trem, Ufólogo, graduado em Ciências Econômicas pela UEMS, especialista em Metodologia e Didática do Ensino Superior pelas Faculdades Magsul, membro do Conselho Municipal de Cultura em Ponta Porã, docente nas disciplinas de História Regional e Sociologia,  além de, fronteiriço nato de alma guarani.

Pratique o Zen Surfismo de Trem: Corpo são , mente sã (((((Em ondas de viagens e informação !!!))))

Loading...