ZEN Surf. de Trem !!! Em ondas de viagens e informação ...

Zen surf de trem é um blog/coluna, que aborda de maneira jovial e sem compromisso, a realidade de um lugar diferente, os pensamentos de um sonhador e as informações de uma banda que luta em busca divulgar o seu som e sua ideologia . Um blog onde o debate é a palavra de ordem, do social a ufologia, sempre respeitando a opinião do próximo. Publicado em diversos jornais e sites do Mato Grosso do Sul.

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Fronteira Alternativa, nadando contra a corrente e fazendo a diferença.


     Se o Mato Grosso do Sul, tem sido representado nacionalmente e internacionalmente pelos artistas do “novo sertanejo”, ou sertanejo universitário, a fronteira invisível entre o Brasil e o Paraguai, mais especificamente Ponta Porã e Pedro Juan Caballero, com toda certeza, está literalmente como dizia Cazuza, “nadando contra corrente”.
     Com a produção autoral das bandas e artistas do segmento alternativo, se solidificando cada vez mais, a “fronteira dos hervais” vem mostrando que dispõe de artistas com muito talento, e que dia após dia vem ganhando espaço e reconhecimento do público e da crítica no estado de Mato Grosso do Sul.
     Com bandas como Retorno Comum, X Drive, Atos Falhos, Tokomadera, Nova Sociedade e Surfistas de Trem, a fronteira vem se solidificando cada vez mais como um celeiro da música alternativa no MS, seja no hard core, reggae, pop, samba rock ou rock and roll, a produção autoral se torna cada vez mais frequente entre o segmento.
     Uma prova disto é a participação maciça da chamada “moderna música da fronteira”, no 4º Kit de Difusão Musical, que será lançado pela Fundação de Cultura do MS (FCMS), no Centro de Convenções Rubens Gil de Camillo, em Campo Grande no próximo dia 11 de dezembro.
     O projeto visa divulgar a nova produção autoral do estado, para todo o Brasil, nos diferentes segmentos musicais. No Kit de Difusão Musical 2011, pela primeira vez, o projeto recebeu a participação de um artista da fronteira, a banda Surfistas de Trem, que neste ano além de participar novamente do projeto, abriu caminho para mais dois representantes fronteiriços do segmento alternativo, Retorno Comum e Atos Falhos, solidificando cada vez mais a nova fase da música autoral que a “fronteira invisível” tem passado.
     O que tem crescido, tende a crescer ainda mais, com o lançamento de materiais inéditos autorais das bandas em Ponta Porã e Pedro Juan Caballero.
     É sob essa tendência de crescimento e fortalecimento da música autoral alternativa da fronteira, é que acontece neste sábado, em clima de total harmonia a 5ª Edição do Rock Gol, evento realizado anualmente, pelo diretor de cultura municipal e radialista (Sábado Alternativo – 96,6), Éder Rubens. O evento é uma forma de confraternização entre os artistas locais do segmento alternativo, que participam de um acirrado campeonato entre as bandas e amigos, onde a habilidade quase sempre fica em segundo plano. O evento acontece, a partir das 16 horas, no campo sintético do Show de Bola Futebol Society e será aberto para toda a comunidade, em especial aqueles curtem a boa música e apoiam aqueles que continuam nadando contra a corrente, mas pouco a pouco colhem os frutos da sua originalidade.



João Caetano - Músico/Compositor,
líder da banda Surfistas de Trem,
Economista e colaborador do JR.




Comente, critique, opine !!!
Não se cale, pois quem cala consente.
E-mail: surfdetrem@yahoo.com.br

Você acredita na Ufologia?



     Entre muitas previsões apocalípticas que já permearam a história da humanidade, a do calendário Maia, que prevê o final dos tempos para o dia 21 de dezembro deste ano, é a mais recente. Ainda que grande parte do mundo desdenhe de qualquer tipo “Armagedon”, pelo grande número de falsas previsões que já ocorreram, muitos ainda tem um certo receio de tudo isso, mas é necessário compreender que muitas vezes as informações que se tem sobre esses assuntos, são distorcidas ou manipuladas.
     Entre essas informações manipuladas ou distorcidas, estão grande parte das informações que acercam os estudos ufológicos, não somente no Brasil, como em todo mundo. O termo ufologia é uma adaptação do neologismo inglês ufology, e que significa estudo de objetos voadores não identificados. Uma vez que a sigla UFO (Unidentified Fly Object) foi traduzida para o português como OVNI (Objeto Voador Não Identificado), e alguns países de língua portuguesa empregam ovniologia. A adaptação do inglês, contudo, é amplamente conhecida e aceita pelo público e pesquisadores brasileiros.
        Porém, a admissão da ufologia como campo legítimo de estudo sofre grande resistência. Parte dela é justificada pelo charlatanismo ou desorganização teórica de alguns grupos ou indivíduos, mas uma parcela importante advém do dogmatismo e da desinformação pública sobre cientificidade, perpetuados pela postura parcial do conhecimento estabelecido, que desconsidera vários argumentos usados para desqualificar a ufologia quando trata de outras áreas do conhecimento. No Brasil, essas características são observáveis mesmo em trabalhos que pretendem ter como foco a divulgação científica.
       Talvez por medo de criar um pânico geral na população, as autoridades governamentais, acabam por omitir informações sobre os relatos ufológicos brasileiros e mundiais, o que dificulta os ufólogos a identificarem, compreenderem e buscar explicação para fatos considerados anormais para grande parte do mundo.
No Brasil, diversos casos foram omitidos ou postergados pelo governo, e enquanto estamos em casa, acreditando que ets existem somente nos filmes de Hollywood, eles podem estar mais perto do que imaginamos. Entre os casos ufológicos brasileiros, que por sinal não são poucos, alguns merecem destaques especiais. Como o caso das "Máscaras de Chumbo", que ocorreu durante as semanas que seguiram ao dia 20 de agosto de 1966, em Niterói – RJ, o caso Villas Boas em 1958, na zona rural de São Francisco de Sales – MG e o caso Varginha, que ocorreu também em Minas Gerais na cidade de Varginha, em 1996, este último ficou mundialmente famoso com destaque especial da imprensa mundial. Em Varginha diversas pessoas em um determinado espaço de tempo, relataram ter visto Discos-Voadores e UBEs (Unidade Biológica Extraterrestre), sempre numa mesma região da cidade, e o que todos esses casos tem em comum? Todos foram omitidos ou postergados pelo governo brasileiro. No caso Varginha, que é o mais recente, ufólogos afirmam que o exército brasileiro, capturou dois seres extraterrestres, um sem vida e outro com, e enviou para a Unicamp, para logo em seguida encaminharem para pesquisadores americanos da NASA.
        Porém uma luz no fim do túnel para os estudos ufológicos tem sido acesa, pouco a pouco o governo brasileiro tem liberado documentos que até então eram secretos para os estudiosos sobre o assunto, o que facilitará os estudos e de uma vez por toda acabará com o estigma de haver ou não vida extraterrestre, essa política de liberação de documentos sigilosos tem acontecido não somente no Brasil, mas em diversos países onde a comunidade ufológica tem mais expressão, como nos Estados Unidos, França e Alemanha. Bem, se realmente isso ocorrer de maneira verdadeira, clara e objetiva em breve teremos avanços significativos para toda a humanidade.

João Caetano - Músico/Compositor,
líder da banda Surfistas de Trem,
Economista e colaborador do JR.

Comente, critique, opine !!!
Não se cale, pois quem cala consente.
E-mail: surfdetrem@yahoo.com.br

Pratique o Zen Surfismo de Trem: Corpo são , mente sã (((((Em ondas de viagens e informação !!!))))

Loading...